Português

CB é pianista, cantora, compositora e professora do Brasil. Também artista e intérprete multimídia, ela detém duas personalidades artísticas à procura de fusão. Uma classicamente treinada, mestre em piano, pesquisadora e professora; a outra, ensinada de uma família e comunidade muito artísticas, onde cantar, tocar, escrever, fazia parte da vida cotidiana. CB é uma artista que cria e compõe a vida principalmente, procurando novas expressões humanas orgânicas principalmente através da música, vídeo e fotografia, gestos e movimento, comunicação e interação social, histórias e fantasias. Imigração, diáspora, etnias, mitologia africana e indígena, natureza, religiões, rituais, - buscas -  são seus temas de interesse. Dar voz à tradição através do futuro, ser orgânico e de alta tecnologia, experimentar e descobrir métodos para conectar música, imagem, gesto - o espaço entre as artes e o tempo. 

Versão curta:
Cândida Borges é musicista contemporânea e artista interdisciplinar – pianista, cantora, compositora, performer, educadora e escritora do Brasil. De ascendência afro-européia, ela herdou as tradições musicais da Bahia e do Rio de Janeiro por meio de fortes influências familiares e artísticas, que afirma em seu trabalho artístico. Atualmente é aluna do doutorado em Artes pela Universidade de Plymouth (Reino Unido, 2018). Como educadora, Cândida é Professora Associada de Música da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) desde 2009 e professora convidada de institutos internacionais, workshops, festivais e universidades como a Montclair State University (US). É bacharel (2000) e mestre (2005) em Piano pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e tem especialização em Produção de Música Eletrônica pelo SAE Institute NYC. Em sua formação clássica, ela também vem fazendo músicas para filmes, balé, teatro, colaborações com DJs e produtores de todo o mundo, e especialmente em sua própria carreira como cantora e compositora. Com base em Nova York para uma exploração multicultural do ambiente em seu projeto de doutorado, ela vem explorando nas artes os temas da imigração, fronteiras e inovação social.

Versão completa:
Cândida Borges é musicista contemporânea e artista multi-disciplinar, compositora, intérprete, educadora e escritora do Brasil. De descendência Afro-européia, ela herda as tradições musicais da Bahia e do Rio de Janeiro através de suas fortes influências familiares. Bacharel (2000) e Mestre (2005) em Piano pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sua carreira também explora suas habilidades como cantora e compositora.

Como educadora, Cândida é Professora Associada de Música da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) desde 2009 e professora convidada de universidades internacionais, como a Montclair State University (US). Com formação clássica, ela faz música para filmes, balé, teatro, colaborações com DJs e produtores, e especialmente sua carreira autoral. Cândida trabalhou com grandes músicos no Brasil e na música popular brasileira. Em 2011, gravou o EP Cândida, produzido pelo premiado no Grammy Alê Siqueira, iniciando seu caminho como compositora. Com este trabalho original, ganhou várias competições de rádio, um patrocínio de videoclipe (2011) pelo Departamento de Cultura do Estado para o Rio de Janeiro, ela também foi premiada como “Artista da semana” (2013) pela TuneCore (NY) e figurou no Top 10 Gráficos da World Music em Nova York pelo site ReverbNation. Esta se tornou sua principal atividade artística desde então, alimentando uma grande comunidade de fãs com fotos, vídeos, shows e novas faixas.

Em 2013, iniciou uma residência artística na cidade de Nova York, como Prêmio do Governo Brasileiro (FUNARTE / 2013) para estudar no SAE Institute e no Dubspot. Então, Cândida entrou na música eletrônica, jazz e world music, trabalhando com incríveis produtores e músicos ao redor do mundo. Ainda em 2013, colaborou como cantora no álbum “Sweet Romance” para o Duo Pattern Drama / Touch da Class Label (NY), com quem também colaborou em outros trabalhos como “Indian Summer Collection” Vol. 2 e 3 e “Buddha Bar Collection” vol. XVII, recebendo boas críticas.

Cândida também é coordenadora da Casa de Arte e Cultura desde 2000 – organização sem fins lucrativos sediada no Rio de Janeiro – e empreendedora de projetos socioculturais. Ela realiza eventos e programas para promover e intercambiar Arte, Educação e Cultura no Brasil e no mundo. Ela também escreve artigos para blogs e revistas sobre arte internacional, bem como sessões de fotos e performances urbanas.

Cândida foi selecionada em 2014 para o Programa Artista Imigrante da Fundação de Nova York (NYFA) e no mesmo ano investiu em especialização no Linklater Center e no Workshop de Meredith Monk Ensemble. Desde então, tem sido uma artista ativa no cenário de NYC, apresentando concertos e obras de música, performance e video-instalação, como o trabalho de vídeo / música “Memória e Fado” na Galeria Lorimoto (2015, Bkln) em uma coletiva NYFA, e “Reza pro Mar” um vídeo / música / performance para a exposição “Borderless: In perspective” em Berlim, Amsterdã e Nova York. Cândida também foi artista convidada na residência do International Interdisciplinary Artists Consortium, na Earthdance (IIAC, Massachussets) em 2016, 2017, 2018 e honrosamente selecionada para ser uma mentora da New York Foundation for the Arts em 2017 e 2018. Agora ela se prepara para o lançamento de seu novo álbum original e dois livros sobre o compositor mundialmente conhecido Egberto Gismonti.

2019 – como artista interdisciplinar:

Cândida Borges está atualmente conduzindo pesquisas de PhD sobre a transumância na música contemporânea e arte sonora, com base na Escola de Artes, Design e Arquitetura da Universidade de Plymouth. O projeto “Integrando uma nova diáspora à composição” é motivado pela experiência da pesquisadora como uma artista brasileira que viaja pelo mundo para reconhecer sua identidade e o legado de seus ancestrais.

Em 2018, seu trabalho em vídeo-música “Palm Hand”, a primeira criação de seu doutorado, foi exibido na Conferência SAR (Plymouth, Reino Unido), na residência do Moving Arts Lab (Earth Dance, Massachussets, EUA) e em uma exposição para a Universidade de Antioquia (Medellín, Colômbia).

Cândida também é pesquisadora bolsista da Universidade de Antioquia (Colômbia) e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde também leciona desde 2009. Trabalha como professora convidada para institutos, festivais e universidades internacionais.

Cândida foi premiada pela Fundação Nacional das Artes no Brasil e desde então está sediada em Nova York desenvolvendo esta pesquisa sobre multiculturalismo na composição de música eletrônica e metodologias de educação musical. Os últimos trabalhos musicais de Cândida foram muito comentados na cena eletrônica internacional nos EUA, assim como as trilhas sonoras, workshops, conferências e instalações que ela tem apresentado em todo o mundo.